Type

Database

Creator

Date

Thumbnail

Search results

95 records were found.

Um álbum com 170 imagens dos anúncios mais emblemáticos que circularam em Portugal no século XX. «É impossível ter uma ideia de quantos anúncios foram feitos na história da publicidade. Podemos até experimentar alguns critérios de selecção: circunscrever a análise no tempo (reduzindo-a ao século XX) no espaço (limitando-a a Portugal) e no suporte (não indo além das publicações periódicas). O material disponível permanece infindável
Uma investigação inédita sobre o papel crucial que a rádio e o cinema do Estado Novo desempenharam na vitória da ditadura de Francisco Franco. O título deste livro "O Que Parece É" não foi inventado por mim nem tão-pouco foi retirado de um anúncio publicitário. Trata-se de uma frase de Salazar um dos muitos aforismos que ele tanto gostava de integrar no seu discurso e que serviam de "slogans" com enorme eficácia propagandística funcionando como mandamentos explícitos para orientar as directrizes ideológicas do seu novo modelo político..
Quase todos os intervenientes internacionais publicaram memórias testemunhos deram entrevistas ou aceitaram ser confrontados em comissões de inquérito. Em Portugal praticamente nada foi escrito nada foi descrito nada foi publicado. Por isso fui ao encontro dos protagonistas. Entrevistei alguns conversei com outros na procura da fiel história da decisão portuguesa em apoiar a guerra no Iraque e organizar a Cimeira das Lajes..
Zé Diogo Quintela tem qualquer coisa de Pinheiro de Azevedo. Um Pinheiro de Azevedo que tivesse ficado na reserva territorial. Às vezes o humorista parece violento ao menos para os padrões muito brandos dos “humores nacionais” mas é uma impressão apressada. Zé Diogo não é violento: quando muito está chateado. (...) Se o Zé Diogo se chateia é porque estava num estado hedonista e ronronante como se fosse o Garfield..
«Um Homem Sem Pátria» o primeiro livro do autor desde 1999 demonstra que Kurt Vonnegut permanece entre os grandes nomes da literatura norte-americana contemporânea. Composto por curtos ensaios generosamente ilustrados com desenhos assinados pelo autor «Um Homem Sem Pátria» revela-nos um Vonnegut vociferante de indignação e ao mesmo tempo em afectuosa comunicação com os seus compatriotas americanos..
Foi pela Guerra Civil de Espanha que Ralph Fox veio até Portugal. O seu intuito preciso era investigar a retaguarda de Franco em Lisboa sondando os caminhos do tráfico das armas e as vias de apoio do governo português aos fascistas espanhóis. Em Portugal Now publicado em Inglaterra em 1937 mas até hoje inédito em Portugal Fox dá conta das suas investigações com o olhar afiado de quem se sente em território inimigo. Pelo caminho esboça um retrato da realidade social e política do país..
1 de Fevereiro de 1908 – 1 de Fevereiro de 2008Centenário do assassínio do rei D. Carlos I e do príncipe D. Luís Filipe Em «Memória do Atentado» Maria Alice Samara descreve o cenário as personagens os acontecimentos e as consequências do atentado recorrendo ao testemunho dos principais escritores políticos e jornais da época. Figuras como Aquilino Ribeiro ou Raul Brandão jornais como O Mundo ou o Diário Ilustrado vão fornecendo os elementos para percebermos as várias perspectivas os diferentes pontos de vista partilhados pelas facções políticas em jogo as teorias as suspeitas as tendências..
As outras crónicas de Rui Tavares originalmente publicadas na revista «Blitz» abrangendo temas ora intimistas ora filosóficos e culturais. Uma escrita de incomparável valor literário e cultural. No decorrer dos últimos três anos houve um esoaço alternativo para os textos de Rui Tavares: as crónicas da revista «Blitz». A ausência de constrangimentos temáticos e o ritmo de publicação mensal proporcionaram-lhe «liberdade total; mais liberdade do que alguma vez tive na imprensa». E é dessa liberdade traduzida em virtuosismo literário e cultural que os leitores podem agora desfrutar..
A Grande Muralha é o primeiro livro de divulgação que revela a forma sistemática como o governo chinês viola cada um os direitos fundamentais da humanidade. Por um lado temos a China que se abriu ao capitalismo com enorme pujança e protagonismo económico. Por outro lado há uma face obscura que a prosperidade das últimas décadas remeteu para o silêncio: a prevalência da ditadura a rejeição dos valores humanitários que são elementares em qualquer democracia..
LibrariesLorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin sagittis metus metus. Integer in dui ligula. Proin non felis sapien. Nullam egestas arcu vel interdum accumsan. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Fusce odio odio, dignissim vitae arcu quis, molestie vehicula sapien. Aenean semper odio auctor odio scelerisque tincidunt ut sit amet ligula. Proin hendrerit scelerisque iaculis. Donec gravida est ut nisi commodo varius.
Documentation centerLorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin sagittis metus metus. Integer in dui ligula. Proin non felis sapien. Nullam egestas arcu vel interdum accumsan. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Fusce odio odio, dignissim vitae arcu quis, molestie vehicula sapien. Aenean semper odio auctor odio scelerisque tincidunt ut sit amet ligula. Proin hendrerit scelerisque iaculis. Donec gravida est ut nisi commodo varius.
MuseumsLorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin sagittis metus metus. Integer in dui ligula. Proin non felis sapien. Nullam egestas arcu vel interdum accumsan. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Fusce odio odio, dignissim vitae arcu quis, molestie vehicula sapien. Aenean semper odio auctor odio scelerisque tincidunt ut sit amet ligula. Proin hendrerit scelerisque iaculis. Donec gravida est ut nisi commodo varius.